NO FRIO DA NOITE

Márcia Lupia

Márcia Lupia

Despertou no sofá, sentindo o frio cortante daquela noite. Desligou a TV. Na escuridão da sala, um grito de horror foi ouvido. Eva levantou-se, trêmula. Calçou seus chinelos e foi até a porta de entrada do apartamento, de onde viera o grito. O curto caminho tornava-se quilométrico. Tum, tum… tum, tum… tum, tum… Olho direito no olho mágico, gelado. Embaçado. Esfumaçado. O chão tingido de sangue.