DA JANELA

Márcia Lupia

Márcia Lupia

Da janela vejo…

o dia amanhecer,

o homem a caminhar,

os carros a transitar,

a noite escurecer.

.

Da janela ouço…

o pássaro a gorjear,

o cachorro a latir,

o vizinho a discutir,

a criança a chorar.

.

Da janela sinto…

o cheiro da chuva a cair,

a brisa na face tocar,

o frio a pele congelar,

a paisagem a me confundir.

.

Pela janela sou iludida,

vejo um recorte da vida,

reclusa pela pandemia,

que jamais será esquecida.